Conheça a programação completa da III Mostra As Histórias da Cannabis em Filmes e Debates

Mostra de Cinema
III Mostra As Histórias da Cannabis em Filmes e Debates
Porque uma “guerra às drogas” que legitima a morte em nome da vida? Com a realização dessa mostra buscamos respostas para essa pergunta. Serão exibidos oito filmes brasileiros de curta e longa metragem de ficção e documentários dando uma panorâmica no que a sétima arte produziu sobre a maconha. Complementando a programação serão realizados após as sessões debates com ativistasantibroibicionistas, juristas, professores, pesquisadores, políticos, cientistas e o público sobre o uso recreativo e medicinal da maconha. A mostra é uma realização da ONG Coletivo João do Rio e acontece 19 a 22 de setembro na Casa da Cultura de Paraty.
Você pode fazer parte dessa realização. Colabore com a campanha de financiamento coletivo embenfeitoria.com/ashistoriasdacannabis .

SERVIÇO:

Local:
Casa da Cultura – Paraty
Endereço: Rua Dona Geralda, 177 – Centro Histórico.
Data: de 19 a 22 de setembro de 2017
Horário: 18:30hs.
Realização: Coletivo João do Rio
Contato:
Ronald Almenteiro- Produtor e Curador
ronaldcoletivo@gmail.com24 99957-2799
fb/ Coletivo João do Rio

fb/ Ronald Almenteiro
Casa da Cultura de Paraty
www.paratycultural.org.br
fb/ Paraty Cultural
24 3371-2325

 

PROGRAMAÇÃO
18/09/Seg./18:00hs
CEMBRA
Palestra:
“O uso terapêutico da Cannabis”.
Dr.Eduardo Farevet: Neuropediatra com especialização em epilepsia na Alemanha (Universidade de Bonn e Epilepsie – ZentrumBethel), Fundador e ex-presidente da Associação Brasileira de Epilepsia – Rio, Diretor médico do Centro de Epilepsia do Instituto Estadual do Cérebro Paulo Niemeyer. Diretor médico da Abracannabis e da Apepi.
Público: Profissionais da área da Saúde; Assistência Social; Pacientes e parentes de pacientes que fazem uso da Maconha medicinal ou que queiram conhecer seus benefícios.
19/09/Ter/18:30hs
Filme:
Curta: “Dirijo: A Maconha Antes da Proibição”, documentário, Brasil, 2016, 12min., de Organização dos professores indígenas Mura e Raoni Valle.
Longa: “Proibido Proibir”, ficção, Brasil/Chile, 2006, 100min.,de Jorge Duran, o filme recebeu mais de 20 prêmios nacionais e internacionais, com destaques para: Melhor Filme em Biarritz, Marseille e Viñadel Mar, Melhor Roteiro Original em Huelva, Prêmio Especial do Júri em Havana, Melhor Filme Para o Público em Utrecht e Melhor Diretor em Valdivia.
Debate: 20:20 hs
Tema:
Maconha: Desentorpecendo a razão: Da ficção a realidade.
Debatedores:
Jorge Durán: Roteirista dos filmes “Lúcio Flávio, o Passageiro da Agonia”, “Pixote, a Lei do Mais Fraco”, “O Beijo da Mulher-Aranha “, “Gaijin – Os Caminhos da Liberdade” , “Nunca Fomos tão Felizes”, “Como Nascem os Anjos”, “Jogo Subterrâneo”, entre outros.
Diretordos filmes, “O Escolhido de Iemanjá” e “A Cor do Seu Destino”.

Eduardo Farevet: Neuropediatra. Diretor médico do Centro de Epilepsia do Instituto Estadual do Cérebro Paulo Niemeyer. Diretor médico da Abracannabis e da Apepi.
Mediador:
Ronald Almenteiro: Curador e Produtor da mostra.
20/09/Qua/18:30hs
Filme:
Curta: “Crack: Repensar”, documentário, Brasil, Fiocruz,2016, 25 min., de Felipe Crepker e Rubens Passaro.
Longa: “Cortina de Fumaça”, documentário, Brasil, 2010 87 min., de Rodrigo Mac Niven.
Debate:20:15 hs
Tema: Maconha Medicinal: A sociedade impôs uma agenda. Está dando certo?
Debatedores:
Virgínia Martins Carvalho: Professora da Faculdade de Farmácia da UFRJ. Mestrado e Doutorado em Toxicologia e Análises Toxicológicas pela FCF-USP. Pós-doutorado em Toxicologia Experimental pela Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia da USP. Coordenadora do projeto Farmacannabis-UFRJ que visa suporte farmacêutico integral aos pacientes em tratamento com cannabis, atuando principalmente no apoio à produção e análise de extratos de cannabis e atenção farmacêutica.
Ana Luz Tepedino: Artista plástica, membro da APEPI – Associação de Apoio à Pesquisa e Pacientes de Cannabis Medicinal e mãe de criança que faz uso medicinal da cannabis – Cannabidiol. Moradora de Paraty.

JanuariaPralon Moreira: Psicóloga, mestra em psicologia com pesquisa em saúde mental, filiada a Abrasme – Associação Brasileira de Saúde Mental, membro do Fórum de Economia Solidária de Paraty e membro do Conselho Municipal de Saúde de Paraty.
Mediador:
Emílio Figueiredo: Advogado na Rede Jurídica pela Reforma da Política de Drogas, consultor jurídico do Growroom.net, e de associações de pessoas que fazem uso terapêutico da Cannabis. Membro do Conselho Consultivo da Plataforma Brasileira de Política de Drogas.
21/09/Qui/18:30hs
Filme:
Curta: “Baseado Brasil”, documentário, Brasil, 27min., de ViniciosFalavgne e Matheus L. Zampa.
Longa: “Bicho de Sete Cabeças”, ficção, Brasil, 74min., de Laís Bodanzky. Prêmios:Grande Prêmio Cinema Brasil ,Troféu APCA de “Melhor Filme”, além de ser o filme mais premiado do Festival de Brasília e do Festival do Recife. Em 2015 o filme entrou na lista feita pela Associação Brasileira de Críticos de Cinema (Abraccine) dos 100 melhores filmes brasileiros de todos os tempos.
Debate:20:10hs
Tema: Território. Violência. Perda de Direitos: “Guerra às drogas”a quem interessa esse negócio?
Debatedores:
Pedro Heitor: Doutor em ciência política, Professor do Instituto de Estudos Comparados em Administração de Conflitos (InEAC-UFF) e do Programa de Pós-graduação em Sociologia e Direito (PPGSD).
Flávia Maria Carvalho Pfeil: Doutoranda do programa de Pós-graduação em Psicologia da PUC-Rio. Psicóloga Educacional da Pref. De Paraty. Coautora do livro “Quem tem medo de falar sobre drogas? Saber mais para se proteger”.
Mediador:
Frederico Policarpo: Professor de Antropologia no curso de Politicas Publicas – UFF / Angra dos Reis. Pesquisador do Instituto de Estudos Comparados em Administração Institucional de Conflitos (InEAC/UFF) e do Núcleo de Estudos Interdisciplinares sobre Psicoativos (NEIP).
22/09/Sex/18:30hs
Filme:
Curta: “Marcha da Maconha do Rio de Janeiro 2017”, documentário, Brasil, 03min10seg., de Matias Max.
“Vozes da Marcha da Maconha de São Paulo 2017”, documentário, Brasil, 03min15seg., de SmokeBuddies e Djasco Libre.
Longa: “Verão da Lata”, documentário, Brasil, 60min., de Tocha Vieira e HanáVaisman.
Debate:19:40hs
Tema: Politica de drogas no Brasil: A sociedade tem que fazer parte desse debate.
Debatedores:
Renato Cinco: Sociólogo, Vereador na cidade do Rio de Janeiro.
André Barros: Advogadocriminalista, vice-presidente da Comissão de Direitos Humanos da OAB/RJ e advogado da Marcha da Maconha.
Pedro Zarur: Engenheiro elétrico com mestrado pelo COPPE. Presidente da ABRACANNABIS, associação que luta pelo direito dos pacientes cultivarem sua própria maconha para extrair o remédio Cannabidiol.
Mediador:
Ronald Almenteiro: Curador e Produtor da mostra.
[17/9 19:39] Januaria: um pouco sobre o médico que irá fazer a palestra do dia 18 Eduardo Faveret acredita que já atendeu mais de dez mil pacientes. A doçura e a sinceridade das crianças foram os motivos que levaram o médico carioca, filho caçula de uma família de engenheiros, a escolher a neuropediatria. Se ele escolheu a medicina, o seu lado engenheiro também se fez presente: O seu maior sonho era construir um centro de referência especializado no tratamento da epilepsia no Rio de Janeiro. E conseguiu. Hoje, é o Coordenador do Centro de Epilepsia do Instituto Estadual do Cérebro Paulo Niemeyer.

“É uma realização muito grande poder fazer um pouquinho de diferença na vida das pessoas. Pra mim, dar uma nova oportunidade de viver à alguém é uma atitude de amor. Sou movido por amor. Em todos esses anos de profissão, aprendi e recebi muito carinho de todos os meus pacientes. Sou muito grato à todos eles. O que mais gosto na minha profissão é lidar com as pessoas. É muito gratificante “, conta.

Mas até realizar seu sonho, a trajetória foi longa. Na saúde pública, passou pelo Hospital Clementino Fraga Filho e no Instituto Fernandes Figueira nos tempos de residência em pediatria e neurologia. Aos 30 anos, arrumou as malas e foi se especializar na Alemanha, na Universidade de Bonn – um dos maiores centros de referência no tratamento da epilepsia no mundo. Na volta, cheio de disposição, só conseguiu apoio na iniciativa privada o apoiou, até que conseguiu, há quatro anos, num pequeno espaço no Hospital Estadual Carlos Chagas, construiu o que seria o embrião do Centro de Epilepsia do Instituto Estadual do Cérebro. Para seus pacientes, ele é um anjo em formato de gente. Para ele, todos fazem parte da sua família.

Faveret ultrapassou as fronteiras do consultório e criou a Liga Brasileira de Epilepsia do Rio de Janeiro. A iniciativa surgiu para vencer os preconceitos e esclarecer a população sobre a doença, que atinge cerca de 70 mil pessoas no estado do Rio.

Guido Nietmann é fotógrafo, nascido em São Paulo, mas é apaixonado e mora há 6 anos em Paraty. Criou em parceria com a fotógrafa Roberta Pisco a Fotos Incríveis, especializada em fotografia de alto padrão. Eterno apaixonado por Paraty, não se cansa de retratar as belezas da cidade e nutre uma paixão toda especial pela Igreja de Santa Rita!

Saiba mais acessando www.fotosincriveis.com.br

Você pode gostar...

Deixe aqui sua opinião sobre este assunto!