Em franca campanha ninguém sabe para quem, Casé lança vídeo informando que Paraty receberá o título de Patrimônio da Humanidade. E daí?

Casé está em plena campanha. Muito mais ativo que de costume, está publicando vídeos e inaugurando obras com uma frequência bem acima do habitual. Entretanto, não se sabe ainda para quem é tal campanha. Por um lado temos o vice, Luciano Vidal, pré-candidato a sucessão desde a última campanha eleitoral, este tem um alto nível de rejeição por parte do eleitorado.

Do outro lado, temos o candidato Valdecir. Valdecir também tem uma rejeição considerável, tanto por ser evangélico, quanto por algumas alianças que teria feito com o governo atual, muito criticadas por sua base eleitoral. O que corre a boca pequena é que uma pesquisa de opinião profissional teria sido contratada, e que seu resultado determinará qual candidato deve receber o apoio do prefeito na eleição que deve ser conclamada pelo presidente da Câmara, Sanica, que deve assumir o governo tão logo o acórdão do último julgamento do prefeito seja publicado. Bizarro!

Enquanto isso, hoje o prefeito divulgou um vídeo onde anúncia que Paraty será nomeada patrimônio da Humanidade pela Unesco. Na mensagem, o prefeito comemora o título de cidade criativa da gastronomia pela Unesco, e diz que está confirmado que Paraty será nomeado Patrimônio da Humanidade.

Entretanto, em nenhum momento, são citados quais supostos benefícios isso deve trazer para a cidade. Haverá uma divulgação maior da cidade nos destinos estrangeiros? O título deve atrair mais turistas? Pra que serve essa nomeação efetivamente, afinal? Essas respostas, ninguém sabe, ninguém viu.

Enquanto isso, antigos problemas seguem acontecendo. Embora a prefeitura tenha anunciado que irá começar a construir a estação de esgoto, não há nada palpável sobre o assunto no horizonte. O Jabaquara sofreu uma invasão de algas, algo que provavelmente está ligado ao alto índice de poluição da praia.

O terreno onde Casé anunciou a construção da Escola Técnica é outro alvo de imbróglios. Proprietários de terrenos no bairro afirmam que o local é definido no loteamento original como Área Livre, o que em tese impede a construção de qualquer imóvel no local. Ou seja, é bem provável que assim que começar a construção, esses proprietários entrem na justiça e embarguem a obra, deixando mais um elefante branco para a cidade.

Segundo eles, inclusive, embora tenham sido doados, os terrenos onde foram construídos a delegacia e a escola Pequenina Calixto ainda não tiveram suas escrituras regularizadas. Com isso, caso o proprietário original dos imóveis venha a falecer antes que a documentação seja regularizada, haverá grandes problemas no futuro para regularização dos imóveis. Se a nossa polícia já não é nem de longe bem aparelhada como deveria ser, imagine como ficaria sem delegacia.

Confira o vídeo do anúncio:

 

guidonietmann

guidonietmann

Guido Nietmann é fotógrafo e mora há 7 anos em Paraty. Em parceria com a fotógrafa Roberta Pisco, criou a Fotos Incríveis, empresa especializada que atua com fotografia imobiliária, gastronômica, fotografia aérea, fotografia de produtos e também com ensaios. Apaixonado por Paraty, não se cansa de retratar as belezas da cidade e nutre uma paixão  especial pela Igreja de Santa Rita! Contato e mais informações: www.fotosincriveis.com.br

Deixe aqui sua opinião sobre este assunto!