Pílulas de Poesia: Poema Vertigem

“Eu sou a viagem de ácido
nos barcos da noite
Eu sou o garoto que se masturba
na montanha
Eu sou tecnopagão
Eu sou Reich, Ferenczi & Jung
Eu sou o Eterno Retorno
Eu sou o espaço cibernético
Eu sou a floresta virgem
das garotas convulsivas
Eu sou o disco-voador tatuado
Eu sou o garoto e a garota
Casa Grande & Senzala
Eu sou a orgia com o
garoto loiro e sua namorada
de vagina colorida
(ele vestia a calcinha dela
& dançava feito Shiva
no meu corpo)
Eu sou o nômade do Orgônio
Eu sou a Ilha de Veludo
Eu sou a invenção de Orfeu
Eu sou os olhos pescadores
Eu sou o Tambor do Xamã
(& o Xamã coberto
de peles e andrógino)
Eu sou o beijo de Urânio
de Al Capone
Eu sou uma metralhadora em
estado de Graça
Eu sou a pomba-gira do Absoluto.”

Roberto Piva

Bruna Regina

Bruna Regina

Bruna Regina é uma jovem mulher periférica e destemida.  Natural de Goiânia onde iniciou sua vida profissional na área de vendas e paralelamente atuava em pequenos/grandes movimentos e eventos políticos e culturais da cidade. Mudou se para São Paulo aos 21 anos, levando consigo uma mala, quatro caixas e sua feroz paixão por poesia, música e revolução. Em SP de maneira despretensiosa a música e principalmente os discos faziam parte de seu dia-a-dia, desse contato diário surgiu a oportunidade de se aventurar na arte da discotecagem em vinil e desde então corre atrás desse sonho. Caiu de paraquedas na delirante Paraty em novembro de 2018.